Alunos da EFOMM conheceram de perto o Programa Antártico Brasileiro. (Montagem/Jornal Pelicano)

Durante os dias 24 de Setembro e 01 de Outubro, o CIAGA realizou uma parceria com o Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR) para que dois alunos da EFOMM (OfAl Adriana e OfAl Ricardo Salgado), junto com o 1T (RM2-T) Daniel Pereira, pudessem conhecer o projeto de perto. Os alunos receberam explicações sobre a importância do projeto, o percurso que seria executado e as condições climáticas do local. Assim, puderam viajar a bordo da aeronave C-130 – Hércules e obtiveran mais conhecimento sobre o continente gelado.

A Antártica

A Antártica tem função essencial nos mecanismos naturais da Terra. Ela é a principal reguladora térmica do planeta, controla as circulações atmosféricas e oceânicas, influenciando o clima e as condições de vida em todo o mundo. Além disso, é detentora das maiores reservas de gelo (90%) e água doce (70%), e mais ainda, possui recursos minerais e energéticos incalculáveis.

A região possui a maior camada de gelo do mundo, com isso, quando esse gelo se desprende e penetra no mar, dá origem aos icebergs. O clima na Antártica é caracterizado por temperaturas muito baixas. O continente é o mais afastado dos demais, fator determinante para que a fauna superior seja pouco significante. Entretanto, os mares Antárticos têm diversas comunidades biológicas. A flora é constituída de alguns musgos e líquens.

O Programa

OfAl Adriana e OfAl Ricardo Salgado aproveitando a oportunidade de obter novos conhecimentos (Foto: OfAl Adriana/Jornal Pelicano)
OfAl Adriana e OfAl Ricardo Salgado aproveitando a oportunidade de obter novos conhecimentos (Foto: OfAl Adriana/Jornal Pelicano)

A missão brasileira no continente é apoiar a Estação Antártica Comandante Ferraz e os diversos projetos de pesquisa brasileiros na Antártica. O trabalho da Força Aérea Brasileira (FAB) é prover o trabalho logístico para que os projetos de pesquisa brasileiros que vão a Antártica sejam apoiados, e também prover transporte material e pessoal do solo brasileiro até o continente gelado do Sul.

O percurso possui passagem pelas cidades de Pelotas-RS, onde se recebe as vestimentas, Punta Arenas (Chile), que é o ponto de apoio para atravessar para a Antártica, e então, a Base de Frei, que é a base chilena na Antártica, e finalmente, a Estação brasileira. A expedição brasileira consiste numa parceria entre a Força Aérea Brasileira e a Marinha do Brasil.

Confira o vídeo feito pela equipe envolvida na faina realizada:

 

 

O Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR) realiza 10 voos durante o ano para a Estação Antártica Comandante Ferraz, 6 voos de verão e 4 de inverno. Os de verão são os que transportam os pesquisadores. Os voos são realizados por meio das aeronaves C-130 – Hércules. Na Estação, existe uma equipe de 15 militares da Marinha do Brasil. Eles viajam em Novembro e passam o período de um ano no local, e ao término do tempo, são substituídos por outros 15 militares. Eles são os únicos que permanecem na Estação durante o inverno. O inverno na região é muito rigoroso, com temperaturas que podem chegar a -25°C em certas ocasiões (a temperatura normal varia de 1°C a -5°C).

O apoio da FAB é fundamental para visitar a Estação Antártica durante o inverno (Foto: OfAl Adriana/Jornal Pelicano)
O apoio da FAB é fundamental para visitar a Estação Antártica durante o inverno (Foto: OfAl Adriana/Jornal Pelicano)

Conclusão

O PROANTAR, ao longo dos anos, permitiu a formação de centenas de cientistas e um vasto acervo de estudos em diversas áreas do conhecimento. Assim, a parceria realizada entre o CIAGA e o Programa foi muito importante para os alunos, pois proporcionou uma experiência de adquirir informações e conhecimentos que acrescentam bastante na formação acadêmica.

 

COMPARTILHAR
Thiago Ninck
Comandante-Aluno (Curso de Náutica), Atleta da Equipe de Xadrez e Repórter do Jornal Pelicano