Às 0430 da manhã, soou a corneta anunciando a Alvorada no Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (CIAGA), em um dia muito importante na história do Brasil, 7 de Setembro. Antes de nascer o Sol os alunos dos três anos escolares deveriam estar formados na Alameda Alegrete, às 0440. E não foi diferente, mostrando a pontualidade de um militar, todos estavam formados e devidamente fardados na hora prevista.

Os Alunos que foram voluntários para representar a Escola De Formação De Oficiais da Marinha Mercante (EFOMM), foram levados por viatura do CIAGA para a Av. Presidente Vargas, às 0520. Ao chegar no local, grupamentos de outras Organizações Militares e Civis finalizavam os preparativos para o desfile.

Grupamento da EFOMM em momentos antes do desfile. (Foto: Al. Lucas Santos/ Jornal Pelicano)

Durante o desfile cerca de 4.500 pessoas segundo o Comando Militar do Leste participavam do desfile, sendo elas: as Forças Armadas, a Polícia Militar, a Polícia rodoviária Federal, a Guarda Municipal, Ex-Combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB), Escolas Militares, Escolas Municipais, grupamentos de associações, grupamento de atletas militares de alto rendimento e entidade civis. É a partir desse espírito de solidariedade o qual une as pessoas em torno de interesses comuns em benefício da pátria renascendo o Patriotismo que é um sentimento de amor e respeito à Pátria e aos seus símbolos, tais como a Bandeira, o Hino Nacional, o Hino da Bandeira, o Hino da Independência.

O grito da Independência

 

“E viva o Brasil livre e independente!”

 

No dia 7 de setembro de 1822, D. Pedro I dá o famoso Grito do Ipiranga “Independência ou Morte”. D. Pedro encontrou representantes do governo que chegavam do Rio de Janeiro e declamou a independência às margens daquele riacho do Ipiranga. Quando leu as notícias chegadas do Rio de Janeiro e recebeu novidades da esposa e do próprio José Bonifácio, D. Pedro não teve dúvidas. As comitivas que o acompanhavam presenciaram o fato.

Grupamento da EFOMM durante o desfile. (Foto: Al. Lucas Santos/ Jornal Pelicano)

Com a independência, a colônia do Brasil se separou da metrópole portuguesa. Até os dias de Hoje, esse dia é celebrado com muito orgulho e patriotismo pelos Brasileiros.

Desfile do dia da Independência do Brasil

 

O Fogo Simbólico da Pátria foi aceso. Em seguida Ao som das bandas, foi iniciado o desfile cívico Militar que durou cerca de 2 horasA EFOMM foi anunciada logo após  a Escola Naval (EN). O grupamento tinha à frente a 1T (T) Alyne Santos, juntamente com a Guarda bandeira, a qual foi composta pelos alunos: Thiago Ninck, Antunes, Andreza Moura, Dandara, Ayala, Pessoa, Péricles, Cássio, Nascimento e Suzana Souza.

Integrantes da Guarda Bandeira da EFOMM. (Foto: Al. Lucas Santos/ Jornal Pelicano)

Patriotismo

Patriotismo é um sentimento voluntário, unilateral, de amor e pertencimento. Revela a disposição de entrega à causa da pátria. Mesmo com os problemas políticos e econômicos, nosso país tem se mostrado forte diante dessas adversidades, consequentemente unindo o povo Brasileiro em prol de um mesmo ideal, de uma mesma bandeira.

 

“Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil
Querido símbolo da terra
Da amada terra do Brasil!

Sobre a imensa Nação Brasileira
Nos momentos de festa ou de dor
Paira sempre sagrada bandeira
Pavilhão da justiça e do amor!”

 

Nós, brasileiros, devemos levar conosco todo o orgulho do êxito, que foi obtido através de muito esforço: a liberdade. O que, até hoje, nos faz ser referência no mundo a fora. Nossos corações não são só ‘verde e amarelo’ no 7 de setembro, mas durante toda a vida.  Os militares servem como exemplos de patriotas ao servirem 24h em prol do crescimento do país, ao idolatrarem a pátria e ao abdicarem dos direitos deles para ter como dever defender os direitos da sociedade. Independente da situação em que o país estiver, defenderão com afinco a pátria amada e protegerão a democracia. O progresso, pois, jamais será alcançado sem ordem. Permanecerão, então, lutando pela liberdade que sempre buscamos e a cada dia mais próximo chegamos.

“Brava gente brasileira!
Longe vá… temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.”

Texto: Al. Lucas Santos

Confira as fotos do evento abaixo:
Desfile 7 de Setembro RJ 2017