Após um fim de semana em terra, onde os alunos da EFOMM tiveram a oportunidade de baixar terra, conhecer a cidade de Ilhabela e aproveitarem seus encantos, o navio Garcia D´Ávila desatracou do porto de São Sebastião e rumou com destino ao Rio de janeiro, para a última pernada da Comissão Mercantex 2017.

Veleiros durante o desfile pela orla de Ilhabela. (Foto: Al. Ricardo Jesus/ Jornal Pelicano)

44ª Semana de Vela de Ilhabela

No fim de semana de licença da tripulação, ocorria a 44ª Semana de Vela de Ilhabela. Este evento, que movimenta toda a cidade, conta com a participação de velejadores de todo o mundo, não só brasileiros. A competição acontece entre diferentes classes, com tripulações bastante variadas, incluindo homens e mulheres de diversas idades. Não podiam deixar de ter barcos com integrantes da EFOMM e a torcida é grande para que se consiga levar alguma medalha para o GVREFOMM. No domingo, na parte da manhã, o navio em que ocorre a Comissão Mercantex foi o responsável por dar a largada, com desfile dos barcos e check-in obrigatório das regatas de percurso Alcatrazes por BE Marinha do Brasil, Toque-toque por BE e Renato Frankenthal ou regatas alternativas.

NDCC Garcia D´Ávila (G29) no porto de São Sebastião, nos momentos iniciais da manobra de desatracação. (Foto: Al. Ricardo Jesus/ Jornal Pelicano)

O regresso ao Rio de Janeiro

No início do período da tarde, os alunos novamente assistiram a uma manobra de desatracação, e concentrados no convés principal, acompanharam por uma diferente perspectiva os esforços dos rebocadores, em sincronia com as ordens do passadiço, executadas pela praça de máquinas, que auxiliaram a tranquila saída do navio de águas do litoral paulista.

Aluna Franciny durante o serviço na praça de máquinas. (Foto: Al. Ricardo Jesus/ Jornal Pelicano)

Terminada esta etapa, e com o navio devidamente aproado para o seu porto de origem, os alunos da mercante foram divididos em 10 divisões de serviço, a fim de otimizar a absorção de conhecimento durante suas estadias no passadiço e praça de máquinas. E assim como nos dias inicias, os alunos guarneceram postos, juntamente com militares do navio, e desta maneira exercitaram conhecimentos anteriormente adquiridos, porém de forma mais natural.

Navegação Astronômica

Próximo ao horário do pôr do sol, os terceiranistas foram chamados ao tijupá, a fim de terem uma instrução de navegação astronômica. Um dos métodos mais antigos de navegação, o qual se baseia na altura dos astros para determinar a posição do navio. E sendo auxiliados por tripulantes do Garcia, eles utilizaram o sextante e observaram algumas estrelas a olho nu.

Alunos da EFOMM durante o culto. (Foto: Al. Ricardo Jesus/ Jornal Pelicano)

Culto

No fim do dia todos os tripulantes foram convidados a participarem de um culto evangélico, com a finalidade de agradecer pelos dias de viagens sem incidentes, além de pedir proteção durante a derrota de regresso.

Sextante – Instrumento náutico utilizado para determinar a altura de astros

Colaboradora: Aluna Thainá Reigoto

Confira as fotos do evento abaixo:
Diário de Bordo - Mercantex

COMPARTILHAR
Fabricio
Aluno do 2º ano de Náutica da EFOMM, Coordenador-Geral do Jornal Pelicano e Vice-Presidente do Grêmio de Relações Internacionais.