Alunos da Cal Maritime junto de alunos da EFOMM (Foto: Al. Anna Rodrigues / Jornal Pelicano)

Conhecida formalmente como California Maritime Academy, a Academia Marítima da Califórnia organiza junto de seus alunos viagens a países com forte vocação marítima. Portanto, o Brasil não poderia fugir de seu roteiro e o CIAGA é a parte central dessa excursão.

Viagens internacionais fazem parte do pacote educacional oferecido pela Academia, são complementares à grade curricular dos alunos e indispensáveis para formação. A CSU Maritime é privada assim como os outros campus da California State University, ou seja, o graduando deve pagar para estudar.

O lema é “Laborare Pugnare Parati Sumus” – Para trabalhar ou lutar, estamos prontos

A localização da Academia é privilegiada, única escola de formação mercante da costa oeste dos Estados Unidos e situada em Vallejo, CA – na bela Baía de São Paulo. E não é apenas pela beleza do lugar que 70% dos alunos residem no campus. A grande maioria são oriundos de cidades e estados distantes da Califórnia.

O esforço da CSU Maritime não é apenas de acomodar bem os universitários, mas de oferecer a cada um deles, sem qualquer exceção, ao menos um estágio embarcado por verão.

CT Reis e CA Vanley estendendo a bandeira da Academia californiana com a delegação americana (Foto: Al. Anna Rodrigues / Jornal Pelicano)

Durante a passagem no Rio de Janeiro, a tripulação californiana veio ao CIAGA e almoçou junto dos alunos brasileiros no rancho da EFOMM. Os americanos conheceram as instalações de bordo, como: simuladores e equipamentos dos grêmios de náutica e máquinas, sala de estar, salão de recreio e, por fim, o GV – onde velejaram e remaram com os atletas da escola.

No segundo e último dia de parada na cidade, a Academia Transpetro foi o destino principal. Puderam conhecer sobre a empresa brasileira e como prepara para o mar os seus marítimos, com técnica e tecnologia sofisticadas ao simular o trabalho a bordo.

No fim de tudo, ficaram as experiências e histórias trocadas, a recepção calorosa da Mercante brasileira e um grito de Ahoy – expressão de cumprimento ou despedida de homens do mar.