Comandante Hildelene abre a Semana da Profissão 2016 (Foto: Al. Nathália Julião / Jornal Pelicano)

Na segunda-feira do dia 3 de outubro, deu-se início a Semana da Profissão com a palestra da Capitã de Longo Curso (CLC) Hildelene, que abordou como tema os aspectos psicológicos da profissão. Essa Semana conta com o apoio de oficiais de ambas as áreas, cujas palavras esclarecem um pouco mais sobre a função exercida dentro da navio, e não só isso, mostram possibilidades de trabalhos em terra.

Na palestra a CLC contou detalhadamente a sua história de ingresso na Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante (EFOMM), quando pôs em risco a faculdade de ciências contábeis e uma vida corrida, com dois estágios, para seguir o recente sonho de ser mercante. Muito conhecida por ser a primeira CLC do Brasil, a capitã contou sobre as etapas do concurso e como venceu cada fase e principalmente a que mais a desestabilizou: o teste físico; dificuldade essa que foi vencida e a possibilitou inclusive a participação na equipe de atletismo durante os seus – na época – quatro anos de curso.

Participante da primeira turma feminina, pôde sentir na pele a parte de transição entre a não aceitação e a aceitação do segmento feminino na EFOMM. Vivido isso, ela ratificou a importância do período da escola e incentivou aos alunos da turma uno meia ao  aproveitamento máximo do período de formação.

Com ingresso em 1997, formanda de 2000, encarou como primeiro desafio a aceitação da tripulação acostumada a receber a bordo mulheres apenas das famílias dos tripulantes e não como mão de obra em si. Mesmo ouvindo muitos ‘nãos’ persistiu e passou sete anos na mesma embarcação, indo de Praticante a Imediato.

“É gratificante fazer o que se gosta.”

Convidada a se tornar comandante, assumiu em 2009 um navio petroleiro. O primeiro impacto às novas responsabilidades era adquirir confiança em si mesma para comandar uma viagem segura; o que mais a assustava era poluição ambiental, proporcionada por um possível derramamento da carga.

“o segredo de uma embarcação é a tripulação.”

Aluna Rebeca Ramírez pergunta a comandante Hildelene sobre a carreira da mulher na Marinha Mercante (Foto: Al. Nathália Julião / Jornal Pelicano)
Aluna Rebeca Ramírez pergunta a comandante Hildelene sobre a carreira da mulher na Marinha Mercante (Foto: Al. Nathália Julião / Jornal Pelicano)

Como parte da palestra, houve espaço para perguntas dos alunos. A segurança da viagem e salvaguarda da vida humana no mar foram atribuídas por ela ao cumprimento de procedimentos de forma eficaz. A comandante definiu diferenças entre a tripulação comandada por um chefe e por um líder.

Segundo ela, para que ao fim do período um praticante seja contratado deve demonstrar iniciativa, e ser visivelmente ávido por conhecimento. Quando questionada quanto a liderança feminina respondeu que o perfil é estabelecido pela própria mulher. Disse que desde de praticante deve se manter uma relação respeitosa com o sexo masculino na tripulação. Ao ser perguntada sobre a motivação pra escolher náutica, disse que realmente procurava algo ligado a parte administrativa e burocrática.

“Não se fala em desenvolvimento sem navio.”

NJIMG_1261
Aluno Vazquez entrega o diploma de palestrante para a primeira comandante mulher da Mercante brasileira (Foto: Al. Nathália Julião / Jornal Pelicano)

Em fechamento, o Exmo Sr. CAlte Gilberto Cezar Lourenço destacou os pontos mais importantes da palestra e ratificou a importância da Semana da Profissão para a escolha da carreira. Com a gratidão e aplausos dos alunos foi dada encerrada a palestra de abertura da Semana da Profissão.