O último dia da XXXIX MERCNAV foi reservado para apenas uma competição: a tão aguardada partida de futebol entre a EFOMM e o Colégio Naval. No ano anterior, a equipe mercante perdeu por 3 a 1 e vêm, desde então, se superando cada vez mais, mostrando verdadeira melhora nos amistosos ao comando do novo técnico Rodolfo.

Sob um sol forte que não apareceu durante todo o fim de semana em Angra, ambas as equipes formaram enfileiradas e se cumprimentaram antes da partida, ao som da percussão da torcida do CN. Os capitães das duas equipes se reuniram com o árbitro da partida no meio de campo, onde receberam algumas instruções finais. Depois do cara-coroa, o capitão da equipe da EFOMM, Gabriel Braga, junto com o camisa 10 da equipe, Rodolfo Anuda, conduziram o aquecimento final numa rodinha. Todos estavam dispostos a dar seu máximo, a ganhar todas as divididas, tocar a bola com paciência e vencer o jogo.

Al. Alexandre corre mais que o marcador para recuperar a posse de bola. (Foto: Jornal Pelicano)
Al. Alexandre corre mais que o marcador para recuperar a posse de bola. (Foto: Jornal Pelicano)
Al. Denilson comemora o primeiro gol do jogo. (Foto: Jornal Pelicano)

1Primeiro Tempo

O primeiro tempo começou com o time visitante não conseguindo manter a posse de bola. A equipe do Colégio dominava o meio de campo, mas falhava ao finalizar. Até então, a EFOMM só tocava na bola para afastar o perigo. Com a entrada dos laterais no jogo, Lapa e Schuenck, a equipe mercante conseguiu levar a bola à frente, e depois de alguns contra-ataques, o camisa 16, Denilson, conseguiu fazer o 1º gol da partida com a assistência de Rodolfo Anuda.

Com o time do CN sentindo a reviravolta no jogo, depois de mais um contra-ataque da EFOMM, o camisa 7, Savino teve a oportunidade de aumentar o placar com um chute entre dois marcadores, dentro da área. Com o decorrer do 1º tempo, o time da casa aproveitou a falta de atenção dos mercantes e conseguiu empatar a partida antes do final dos primeiros 45 minutos. O 1º saiu de uma falta de atenção dos zagueiros, deixando o atacante do Colégio livre e na cara no gol. Já o gol de empate saiu em uma cobrança de escanteio. O adversário subiu sozinho dentro da grande área, e cabeceou no canto, não dando chance para o goleiro.

O intervalo não poderia ter vindo em melhor hora. O time descansou e discutiu com o técnico as falhas da 1ª etapa e o que teria que melhorar para a seguinte. A motivação, principalmente entre os terceiranistas da equipe, foi revigorada. O pensamento de que aquela seria a última oportunidade de eles vencerem a MERCNAV foi o incentivo que faltava para os 45 minutos finais.

Jogador de criação da EFOMM conduz o jogo no meio campo. (Foto: Jornal Pelicano)

2Segundo Tempo

A EFOMM controlou a maior parte do 2º tempo. Com o destaque para o lado direito, onde o lateral Schuenck levava a bola ao ataque, com o auxílio do primeiranista Valli, mas também não deixava nada chegar perto do seu gol. A chance mais clara de gol veio na cobrança de falta de Leonardo que acertou o travessão do CN. Os visitantes foram prejudicados com alguns erros na arbitragem, em especial um que decorreu em um cartão amarelo para o camisa 10, Rodolfo Anuda. Mas isso não abalou a moral da equipe. Com o final se aproximando, a equipe da casa começou a pressionar, tornando os últimos minutos muito intensos. O goleiro da EFOMM, Gabriel Vital, teve uma excelente e crucial participação durante todo o jogo, mas em especial ao final dos 90 minutos. E depois deles também.

3Cobranças de pênaltis

Como nenhum dos times conseguiu desempatar o jogo no 2º tempo, a partida foi encerrada pela cobrança de pênaltis. Com nenhuma cobrança desperdiçada e uma última defesa essencial do goleiro Vital, a EFOMM garantiu o resultado de 4 a 2 nas penalidades, e a tão aguardada medalha de ouro. Com muita festa, junto com a torcida que invadiu o gramado, a equipe mercante teve a partida e o resultado que mereceu, depois de mostrar tanto esforço e vontade de vencer.

Confira os lances da partida clicando na foto abaixo:

IMG_8360

COMPARTILHAR
Colares
Adaptador aluno do 3º ano de náutica, coordenador geral do Jornal Pelicano.